Entrevista a Xabier Díaz

Entrevista a Xabier Díaz

0 comentários 🕔14:30, 26.Nov 2014

- Palavra Comum: Que é para ti a música?

- Xabier Díaz: Podería dicir que é todo… creo que é máis descritivo dicir que é a vida, no meu caso.

- Palavra Comum: Como entendes o processo de criação artística?

- Xabier Díaz: No meu caso é un momento ou proceso que me conduce a dous estados, un absolutamente eufórico e de plenitude e ó mesmo tempo un alterado e cheo de ansiedade… É como unha especie de revolución persoal, unha chamada a alterar o ritmo habitual das cousas.

- Palavra Comum: Qual consideras que é a relação -ou qual se deveria procurar- entre a música e outras artes?

- Xabier Díaz: Xa é tremendamente íntima e habitual/natural en moitos casos… cinema, danza, teatro… creo que é simbiótica nese aspecto, e tamén precisa, claro…

- Palavra Comum: De quem te sentes, criativamente, filho ou irmão?

- Xabier Díaz: De tantos e tantas que sería inxusto non lembrar a tantos… pero teño como escola a música popular e os seus anónimos artistas…

- Palavra Comum: Que músicas/músicos reivindicarias por não serem suficientemente conhecidos (ainda)?

- Xabier Díaz: Neste país son moitos… tampouco quero esquecerme de algúns… pero na mesma medida, eses grupos de pandeireteiras, gaiteiras/os… zanfonistas…. etc.

- Palavra Comum: Qual é o valor que lhe dás à música galega e quais os caminhos prioritários que deveria transitar?

- Xabier Díaz: Debera transitar todos os que os seus intérpretes/creadoras desexen… sen censura algunha, para darlle valor en forma de ADN propio. Recomendo levar unhas pingas de terra na mochila…

- Palavra Comum: Que conselhos lhe darias á gente nova que sente a música bulir no seu interior?

- Xabier Díaz: Que sexan entregados coa creatividade e o estudo por igual…

- Palavra Comum: Que projetos tens e quais gostarias chegar a desenvolver?

- Xabier Díaz: Agora traballo no meu próximo disco para o 2015… hai un feixe na gaveta… o camiño faise andando…

- Palavra Comum: Que achas de Palavra Comum? Que gostarias de ver também aqui?

- Xabier Díaz: Un proxecto magnífico e necesario, gostaría de ver lustros a pasar por riba da súa vida.

NOTA: a foto que acompanha esta entrevista é de Juan Luís Rua.

Sobre o autor / a autora

Ramiro Torres

Ramiro Torres

(Galiza) Ramiro Torres nasceu na Corunha no 1973 e estudou Graduado Social. Tem publicado poemas na revista 'Poseidónia' e 'Agália', assim como no blogues 'A fábrica' e 'A fábrica da preguiça'. Inaugurou as edições do Grupo Surrealista Galego com o seu livro "Esplendor Arcano".

Sem comentários

Ainda não há comentários

Ninguém deixou um comentário para este post ainda!

ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE ESTE POST

Escrever um comentário 

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *