Branco e vermelho: poesia dos trovadores provençais (XVIII) ~ Giraut de Riquier

0 comentários 🕔16:33, 03.Dez 2014

Tradução e notas: Graça Videira Lopes.

GIRAUT DE RIQUIER (…1254-1292): Pus astres no m’es donat (1270)

Pus astres no m’es donat
que de midóns bes m’eschaia,
ni nulhs mos plazers no·l platz,
ni ai poder que·m n’estraia,
ops m’es qu’iéu sia fondatz
en via d’amor veraia:
e puesc n’apenre assatz
en Cataluénha la gaia,
entre·ls catalans valens
e les dónas avinens.

 
Car domneis, pretz e valors,
jóis e gratz e cortesia,
sens e sabers et honors,
belhs parlars, bela paria,
e largueza et amors
conoiscença e cundia
troban mantenh e socors
en Cataluénha a tria,
entre·ls catalans valens
e les dónas avinens.

 
Per qu’iéu ai tot mon acort
que d’elhs lurs costums aprenda,
per tal qu’a mon Belh Deport
done razon, que m’entenda;
que non ai autre conort,
que de morir me defenda,
et ai cór, per penre port,
qu’en Cataluénha atenda,
entre·ls catalans valens
e les dónas avinens.

 
E s’iéu entre·lhs non aprenc
çó per qu’Amors guazardona
servir als siéus, don dan prenc,
no·i a mas qu’hom me rebona;
car tant d’afan ne sostenc,
que m’a gitat de Narbona,
e per gandir via tenc
en Cataluénha la bona,
entre·ls catalans valens
e les dónas avinens.

 
Tan sui d’apenre raissôs
çó que d’amar ai falhensa,
que nulhs pessars no m’es bos
mas celh qu’als verais agença;
e car no·l sai ad estrôs
vau per bona entendença
querre e trobar cochôs
en Cataluénha valença,
entre·ls catalans valens
e les dónas avinens.

 
 
Be·m degra de chantar tener (1292)38
 
Be·m degra de chantar tener,
car a chan coven alegriérs
e mi destrenh tant cossiriérs,
que·m fa de totas partz doler:
remembran mon gréu temps passat,
esgardan lo present forçat
e cossiran l’avenidor,
que per totz ai razon que plor.
 
Per que no·m deu aver sabor
mos chans qu’es ses alegretat;
mas Diéus m’a tal saber donat,
que·n chantan retrac ma folhor,
mo sen, mon gaug, mon desplazer
e mon dan e mon pro, per ver,
qu’a penas dic ren ben estiérs,
mas trop sui vengutz als derriérs.
 
Qu’er non es grazitz lunhs mestiérs
menhs en cort, que de belh saber
de trobar; qu’auzir e vezer
i vol hom mais captenhs leugiérs
e critz mesclatz ab desonor;
car tot quan sol donar lauzor
es al plus del tot oblidat,
que·l mons es quais totz en barat.
 
Per erguelh e per malvestat
de cristiás ditz, luenh d’amor
e dels mans de Nostre Sènhor,
em del sieu sant loc dissipat
ab massa d’autres encombriérs;
don par qu’elh nos es aversiérs
per desadordenat voler
e per outracujat poder.
 
Lo gréu perilh devêm temer
de dobla mort, qu’es presentiérs:
que·ns sentam Sarrazis sobriérs,
e Diéus que·ns giet a nonchaler.
Ez entre nos qu’em azirat,
tost serêm del tot aterrat;
e no·s cossiran la part lor,
segon que·m par, nostre rector.
 
Celh que crezêm en unitat,
poder, savieza, bontat,
done a sas obras lugor
don sian mundat pecador.
 
Dóna, maires de caritat,
acapta nos, per pietat,
de ton Filh, nostre redemptor,
gracia, perdon ez amor.
Pois a estrela não me concedeu
que de minha dona me venha bem,
nem lhe apraz nenhum prazer meu,
nem dela consigo abdicar,
cumpre-me que instruído seja
na via do amor veraz:
e posso aprender assaz
na alegre Catalunha,
entre os catalães valentes
e as donas excelentes.
 
Pois galanteria, preço e valor,
gozo, agrado e cortesia,
siso e saber e honraria,
bom falar e companhia
e largueza e amor,
graça e conhecimento
acham socorro e sustento
na Catalhuna à porfia
entre os catalães valentes
e as donas excelentes.
 
Por isso fiz firme acordo
que seus costumes aprenda,
tal que a meu Bom Recreio
dê eu razões que me entenda;
pois não tenho outro conforto
que me impeça de morrer
e quero chegar a bom porto,
que na Catalunha me aplique
entre os catalães valentes
e as donas excelentes.
 
E se entre eles não aprendo
aquilo por que Amor premeia
o serviço aos seus, e me vem mal,
só me resta que me enterrem;
pois tanto afã eu sustento,
que me exilei de Narbonne,
e, para escapar, sigo a via
da Catalunha, a boa,
entre os catalães valentes
e as donas excelentes.
 
Tanto desejo aprender
o que cumpre no amar,
que só gosto de pensar
no que aos leais aproveita;
e como não o sei, ora mesmo
me vou, para bom entendimento
buscar e para encontrar, sem demora,
na Catalunha, a valência,
entre os catalães valentes
e as donas excelentes.
 
 
 
 
Bem me deveria abster de cantar,
pois ao canto convém alegria,
e a mim tal cuidado me angustia
que tudo me faz magoar:
lembrando meu duro passado,
olhando o presente atormentado
e considerando o que está para vir,
por todos tenho razão para chorar.
 
Por isso não me deve gosto dar
meu canto, que triste o faço eu;
mas Deus tal saber me deu
que cantando exprimo minha loucura
meu siso, meu gozo, meu desprazer,
meu mal e meu proveito, com verdade,
que a custo algo digo bem doutra maneira;
mas o certo é que cheguei tarde demais.
 
Porque hoje nenhum ofício é estimado
menos nas cortes do que o belo saber
de trovar; que nelas ouvir e ver
se querem antes os modos ligeiros
e os gritos misturados com desonra;
pois tudo o que soía dar louvor
está na sua maior parte esquecido
e o mundo está quase todo perdido.
 
Por soberba e por maldade
dos chamados cristãos, longe do amor
e dos mandamentos de Nosso Senhor,
fomos dos seus santos lugares escorraçados
com muitos outros desastres;
parece assim que Ele nos é contrário,
por desordenado querer
e por temerário poder.
 
O grave perigo devemos temer
de dupla morte, que se perfila:
que os Sarracenos nos sejam superiores
e que Deus nos abandone.
E como entre nós O renegámos,
depressa seremos desbaratados;
e não pensam na sua responsabilidade,
ao que me parece, os que nos governam.
 
Aquele que cremos em unidade,
poder, sabedoria, bondade,
dê às suas obras resplendor,
de que sejam purificados os pecadores.
 
Senhora, mãe de caridade,
alcança-nos, por piedade,
de teu Filho, nosso redentor,
graça, perdão e amor.

 

Notas

38 Be·m degra de chantar tener (1292) – É esta a última composição do trovador, testemunho melancólico do fim de uma época, tanto em termos biográficos como culturais e sociais. Acrescente-se que as composições de Giraut de Riquier foram transcritas e datadas pelo próprio num cancioneiro autógrafo, datação que os posteriores cancioneiros coletivos mantiveram (e que aqui são também indicadas a seguir ao incipit de cada cantiga).

Sem comentários

Ainda não há comentários

Ninguém deixou um comentário para este post ainda!

ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE ESTE POST

Escrever um comentário 

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *