Caderno do Visitante (III), fotos de Juan Luís Rua e poema de Ramiro Torres

1 comentário 🕔15:00, 28.Jan 2015

2015 01 Juan Luís Rua 2

2015 01 Juan Luís Rua 3

POEMA DE RAMIRO TORRES

A árvore enche-se
de um sol caído sobre
o tempo com olhos
transidos de erva nua,
desamarrando-nos para
a percepção que dança
em arco de céu súbito,
estranha voz avançando
por dentro do edifício
a estalar entre os dentes
como palavras abandonadas.
E nós continuamos, filhos
de uma manhã escondida
no bosque que se vislumbra
fora do visível, agochados
até a idade propícia onde
recuperarmos os mapas
de um saber subterrâneo.

Sobre o autor / a autora

1 comentário

  1. 🕔 18:03, 06.Abr 2015

    João Sousa

    Sempre que leio os cadernos do visitante, tenho a estranha sensação de que se tivesse um caderno escrevinhado e com as fotografias respectivas, teria uma obra perfeita para o quotidiano de um caminhante-nato.

    Responder comentário

Escrever um comentário 

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *