<em>Kether</em>, por Artur Alonso Novelhe

Kether, por Artur Alonso Novelhe

0 comentários 🕔10:30, 08.Jun 2015

Deus é pressão
e tua mão tentando abater o muro
um véu muito negro
que não pode resistir
a inércia do impulso

O incognoscível tem sua certeza
e ainda que tu não a possas tatear,
a natureza que encerra seu alento,
a pesar tua, te alimenta

O teu modo de conscientização
não pode comunicar com o dele.
Lamento, infelizmente:
teu corpo abatido caiu
em frente das grades da Europa.

Lamento, mas em este mundo
imenso de mística consumação
tu foste uma letra de câmbio

no mar onde adormeceste
um relâmpago fugidio da compreensão
daqueles que fomentam
as câmaras televisivas…

Deus é pressão
suave e uniforme.
As ondas, em calma, ao vibrar
lembram seu primeiro gêrmolo…

Sem comentários

Ainda não há comentários

Ninguém deixou um comentário para este post ainda!

ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE ESTE POST

Escrever um comentário 

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *