Entrevista a Franck Meyer

Entrevista a Franck Meyer

0 comentários 🕔16:00, 29.Out 2015

- Palavra Comum: Que supõe para ti a literatura?

- Franck Meyer: É algo imprescindíbel como a comida, a bebida, o aire: ler, ver, escribir. Sen ela faltaríame algo esencial. Na que, para min, é a boa literatura atopo intensidade e, probabelmente, unha idea máis ampla da realidade que abrangue tamén o que pode ser e non se limita a iso de “éche o que hai”. A literatura é comunicación, ás veces cun mesmo. É o contrario dunha prisión, dela emana unha liberdade moi humana. A literatura pode significar a posibilidade de elevarse e, tamén, de baixar ás profundidades. Mais non teño unha resposta exhaustiva á pregunta. Talvez mañá xa me apeteza engadir outro aspecto. Agora mesmo estou pensando que a literatura tamén é unha vitoria, contra o silencio, moitas veces imposto. E un poema é como unha porta que se abre: cara aos outros, cara a min mesmo, cara ao descoñecido ou ao vivido.

NOTA: a partir de aqui, as respostas a cada pergunta podem ver-se nas ligações sucessivas ao nome do autor, de maneira parecida à sua anterior colaboração aqui.

- Palavra Comum: Como entendes o processo de criação literária -e artística, em geral-?

- Franck Meyer

- Palavra Comum: Qual consideras que é -ou poderia ser- a relação entre a literatura e outras artes? Tens experiências neste sentido?

- Franck Meyer

- Palavra Comum: Como afrontas o processo de tradução? Que importância tem para ti num sistema cultural?

- Franck Meyer

- Palavra Comum: Quais são os teus referentes (num sentido amplo)?

- Franck Meyer

- Palavra Comum: Que caminhos (estéticos, de comunicação das suas criações à sociedade, etc.) estimas interessantes para a literatura, e quaisquer outras artes?

- Franck Meyer

- Palavra Comum: Fala-nos da tua experiência como editor (Francka Editora), e da tua opinião sobre o sistema editorial (o galego e o de outros espaços que conheças)…

- Franck Meyer

- Palavra Comum: Que é Galiza para ti? Como seria a tua Galiza Imaginária?

- Franck Meyer

- Palavra Comum: Que projetos tens e quais gostarias chegar a desenvolver?

- Franck Meyer

Sobre o autor / a autora

Ramiro Torres

Ramiro Torres

(Galiza) Ramiro Torres nasceu na Corunha no 1973 e estudou Graduado Social. Tem publicado poemas na revista 'Poseidónia' e 'Agália', assim como no blogues 'A fábrica' e 'A fábrica da preguiça'. Inaugurou as edições do Grupo Surrealista Galego com o seu livro "Esplendor Arcano".

Sem comentários

Ainda não há comentários

Ninguém deixou um comentário para este post ainda!

ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE ESTE POST

Escrever um comentário 

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *