Mudança

0 comentários 🕔12:45, 31.Mar 2016

Para A. Pedrosa, com Amor.

***

PEDRO CASTELEIRO

Nos portos

Alfonso Pedrosa
in memoriam

Para mim sempre foste um marinheiro antigo,
ancorado à tua cerveja sob o sol,
sempre encostado ao teu baixel de música.

E o mar ali já, como escreveu
Elias, na nossa chuvosa pronúncia
–enquanto tu escampavas.

Para mim nós fomos só um barco de amigos
com Carmen e Elena, e Concha e Manolo
com Júlia a sorrir marítima Gioconda
através do mar das nossas mãos e o nosso vinho.

E agora tu, sempre esplendente
nos adiantas, levando a cerveja e teu
barco de espuma para o mar.

E nós, amigos,
no porto fugaz da tua saudade,
soltando amarras.

***

Foto Manuel Lestón Névoa 3

***

ALFREDO FERREIRO

Para A. P, traficante de sonhos e tapetes

Ó amigo, lembro-me de ti
agora que morreste
e vejo que floresce
o tempo na tua mão,
e que vens para me fazer
saltar sob o passado
sobre o presente
e por entre os ramos
de um futuro em que os dous
juntaremos nossos corações
ambivalentes
no berço do que nos é comum
ontem, agora e sempre.

***

Foto Manuel Lestón Névoa 4

***

RAMIRO TORRES

Estoura nas mãos
um sol antiquíssimo
enquanto a realidade
vira espuma de sonho,
atraindo para si o vazio
desde a imensidade
que floresce em nós
com o teu nome tatuado:
habitas a névoa no trânsito
do visível ao invisível,
com a percepção nua
a beber no puro âmbito
que desnuda as formas
e te devolve ao início,
no abraço de um saber
esculpido no fundo da luz.

***

Foto Manuel Lestón Névoa 2

Sobre o autor / a autora

Manuel Lestón

Manuel Lestón

(Galiza)

Sem comentários

Ainda não há comentários

Ninguém deixou um comentário para este post ainda!

ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE ESTE POST

Escrever um comentário 

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *