<em>África em Sinfonia Solar</em> (III)

África em Sinfonia Solar (III)

0 comentários 🕔10:45, 07.Abr 2016

NOTA DE PALAVRA COMUM: agradecemos a Xosé Lois García a sua vontade de publicar nesta revista o seu livro “África em Sinfonia Solar”, com poemas e desenhos da sua autoria, editado em papel em 2005, promovido desde o Centro Cultural Luso Moçambicano de Lisboa, e dificilmente encontrável a dia de hoje.

Cada poema vai acompanhado do desenho com o que dialoga.

***

7

O ritmo dos corpos na madurês da terra
ilumina os gestos da quitandeira,
a cesta leva segredos sem recompensas.
Mama grande
carregas na cabeça à África toda?
Deixa-me o teu pano vermelho,
o teu sudário,
para estreá-lo quando peregrine
frente ao sol onde flutua o teu salário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

***

8

A máscara de África dorme lisa sobre seu mito,
assim principia o símbolo em olhada definida.
Aqui ficam inércias e segredos sem dizer
quando a ternura resplandece em rosto de orvalho.
A madona, com lenços de linhaça atravessa África
procurando luz no silêncio de outro grande memorial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

***

9

Cara ao fogo ia procurando destino;
algum dia, no reino da paixão ardente,
a lua mostrar-lhe-á a direção do rio.
Ó mulher indestrutível,
cósmica e solar
erigida na lâmina de outro olhar?

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Sobre o autor / a autora

Xosé Lois García

Xosé Lois García

(Galiza-Catalunha)

Sem comentários

Ainda não há comentários

Ninguém deixou um comentário para este post ainda!

ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE ESTE POST

Escrever um comentário 

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *