Alento

Alento

0 comentários 🕔12:00, 05.Mai 2016

Com o olho direito absorve a sabedoria
com o esquerdo olha sua luxuria.

Trágica a existência daquele que morreu
sem escutar o murmúrio que conduz a seu destino.

Do alto da cabeça descendo à coluna vertebral
poder, conhecimento, amor e sabedoria
o coração não podem penetrar
se a luta emocional com seu mental
não foi banida

dentro deste plano em que a multiplicidade
existe.

Com a narina esquerda respira um ar
frio lunar,
com a narina direita o sol do meio-dia.

Trágico final daquele que não pode descobrir
o sentido da sua própria vida.

Outros preferem roupas gastas ainda usar
como:
títulos, diplomas, honras e cargos
a envaidecer
dentro do castelo das vogais aparências
fixes

São escravos da sua ignomínia

Não temas em seus dogmas e crenças engarrafar
tu nunca esqueceste a norma:
Com um olho aberto no céu olhar
a forma da sem forma;
com aquele outro fechado no chão contemplar
a sem forma que tem a forma.

Nada mais temos a acrescentar
quem tenha ouvidos para ouvir que ouça…

Sobre o autor / a autora

Artur Alonso Novelhe

Artur Alonso Novelhe

(Galiza)

Sem comentários

Ainda não há comentários

Ninguém deixou um comentário para este post ainda!

ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE ESTE POST

Escrever um comentário 

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *