“Ao longe…”, por Ernesto Areias

“Ao longe…”, por Ernesto Areias

0 comentários 🕔10:00, 17.Nov 2016

Ao longe
Ouço o rumor aquoso das levadas,
O fluir da água que se esvai
Pelo declive manso da terra
Irrigando promessas.

Ouço estas eternidades
Que não são minhas
Mas pedaço anódino
Do filme da intemporalidade
A que assisto sem espanto.

Ouço zunidos desbragados
Pelo descampado
Calando fundo
No meu desamparo reticente.

*

Ernesto Salgado Areias nasceu em Lebução (Valpaços) e reside em Chaves. Foi professor dos Ensinos Básico e Secundário, sendo advogado desde há trinta anos. É sócio da AREIAS ADVOGADOS, com escritório em Chaves e Lisboa.

Fez o curso de professor do Ensino Básico em Chaves 1977-80 e o de Direito na Universidade Clássica de Lisboa em 1980-85.

Colaborador da imprensa e da rádio, tem mantido intensa atividade no associativismo cultural e formação de adultos.

É director desde a Fundação, em 1999, da Universidade Sénior de Rotary de Chaves, membro fundador do Centro de Estudos Judaicos do Alto Tâmega e membro fundador do Clube dos Amigos do Livro de Chaves e sócio da Academia de Letras Transmontana.

Da sua autoria: Neste cais, para sempre (esgotou uma edição de autor e foi republicado em janeiro de 2016); colaborador do Dicionário de Trasmontanismos (2002).

No prelo: Demónios por Sefarad. Romance histórico (1477 e 1506), concluído; Coleção de conto e poesia infanto-juvenil “Areias de Sal” (dois livros concluídos sob os títulos “Vida” e “O violinista de Strauss”).

Em oficina: Rumores da Terra e do Vento (poesia); O rapaz com boina de CHE (contos); PARIS: Dias de chumbo, noites de luar (será o seu terceiro romance, que anuncia para fins de 2017).

Sem comentários

Ainda não há comentários

Ninguém deixou um comentário para este post ainda!

ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE ESTE POST

Escrever um comentário 

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *