Mensagens de Alfredo Ferreiro

🔍Leia o artigo completo «O teu corpo a oriente e a ocidente», de Pedro Casteleiro

«O teu corpo a oriente e a ocidente», de Pedro Casteleiro

0 comentários 🕔11:30, 28.Jul 2017

A vontade da Deusa, da Grande Mãe ou da Amada Eterna presidem o livro. Não se admirem, leitoras e leitores, se este livro semelha à vez moderno e antigo. Porque há cousas que não mudam embora nunca ofereçam a mesma figura, como factos diversos sob os quais subjazesse um único gesto divino. Falarmos em termos de espírito é, todavia, raro nestes tempos. Somos velhas vítimas do autoritarismo eclesiástico e não se torna fácil trazer para a

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo «Quando me deixaste fiquei no escuro»

«Quando me deixaste fiquei no escuro»

0 comentários 🕔09:38, 24.Jul 2017

No fim daquela tão agradável conversa, voltando ao hotel ele propus passarem a noite juntos, mas ela rejeitou a proposta com uma desculpa qualquer. Considerada e distante à vez, mandou um beijinho pelo ar e abandonou o elevador. Ele entrou no seu quarto e, ademais de invadido por uma acre confusão, não encontrava o modo de fazer funcionar o cartão para ligar a luz. Depois de inúmeras tentativas, resolveu que despir-se sozinho e ter que fazê-lo sem luz já dava

LEIA MAIS
Play video Alfredo Ferreiro no Raias Poéticas 2017

Alfredo Ferreiro no Raias Poéticas 2017

0 comentários 🕔14:20, 09.Jun 2017

No passado mês de Maio tive a oportunidade de participar no Raias Poéticas ~ Afluentes Ibero-Afro-Americanos de Arte e Pensamento fazendo parte de uma delegação galega composta por Ramiro Torres, Teresa Moure e Tiago Alves Costa. Este é o quinto do cinco vídeos que compõem o nosso contributo plural. Este evento nasceu, segundo as palavras o Luís Serguilha, há seis anos para «_________potencializar a criatividade artística, o pensamento como experiência dançante, a interrelacionalidade, a sismologia das sensações,

LEIA MAIS
Play video Teresa Moure no Raias Poéticas 2017

Teresa Moure no Raias Poéticas 2017

0 comentários 🕔15:06, 07.Jun 2017

No passado mês de Maio tive a oportunidade de participar no Raias Poéticas ~ Afluentes Ibero-Afro-Americanos de Arte e Pensamento fazendo parte de uma delegação galega composta por Ramiro Torres, Teresa Moure e Tiago Alves Costa. Este é o quarto do cinco vídeos que compõem o nosso contributo plural. Este evento nasceu, segundo as palavras o Luís Serguilha, há seis anos para «_________potencializar a criatividade artística, o pensamento como experiência dançante, a interrelacionalidade, a sismologia das sensações,

LEIA MAIS
Play video Ramiro Torres no Raias Poéticas 2017

Ramiro Torres no Raias Poéticas 2017

0 comentários 🕔09:57, 05.Jun 2017

No passado fim de semana tive a oportunidade de participar no Raias Poéticas ~ Afluentes Ibero-Afro-Americanos de Arte e Pensamento fazendo parte de uma delegação galega composta por Ramiro Torres, Teresa Moure e Tiago Alves Costa. Este é o terceiro do cinco vídeos que compõem o nosso contributo plural. Este evento nasceu, segundo as palavras o Luís Serguilha, há seis anos para «_________potencializar a criatividade artística, o pensamento como experiência dançante, a interrelacionalidade, a sismologia das sensações,

LEIA MAIS
Play video Tiago Alves Costa no Raias Poéticas 2017

Tiago Alves Costa no Raias Poéticas 2017

0 comentários 🕔13:33, 02.Jun 2017

No passado fim de semana tive a oportunidade de participar no Raias Poéticas ~ Afluentes Ibero-Afro-Americanos de Arte e Pensamento fazendo parte de uma delegação galega composta por Ramiro Torres, Teresa Moure e Tiago Alves Costa. Este é o segundo do cinco vídeos que compõem o nosso contributo plural. Este evento nasceu, segundo as palavras o Luís Serguilha, há seis anos para «_________potencializar a criatividade artística, o pensamento como experiência dançante, a interrelacionalidade, a sismologia das sensações,

LEIA MAIS
Play video Raias Poéticas 2017: Luís Serguilha

Raias Poéticas 2017: Luís Serguilha

0 comentários 🕔12:13, 31.Mai 2017

No passado fim de semana tive a oportunidade de participar no Raias Poéticas ~ Afluentes Ibero-Afro-Americanos de Arte e Pensamento fazendo parte de uma delegação galega composta por Ramiro Torres, Teresa Moure e Tiago Alves Costa. Este é o primeiro do cinco vídeos que compõem o nosso contributo plural. Este evento nasceu, segundo as palavras o Luís Serguilha, há seis anos para «_________potencializar a criatividade artística, o pensamento como experiência dançante, a interrelacionalidade, a sismologia das sensações, as

LEIA MAIS
Play video Apresentação d’ <em>A razão do perverso</em>, de Mário J. Herrero

Apresentação d’ A razão do perverso, de Mário J. Herrero

0 comentários 🕔09:07, 03.Mai 2017

Esté é o vídeo da apresentação do livro do Mário J. Herrero Valeiro A razão do perverso (Caldeirón, 2016), que venceu no X Prémio de Poesia Erótica Ilhas Sisargas. Com gravação de Táti Mancebo e edição de Alfredo Ferreiro. A seguir, publicamos o texto lido pelo Mário na apresentação da Crunha em 21 de abril de 2017 no coworking Eléctrica, com a presença do autor, do editor Paco de Tano e do poeta Alfredo Ferreiro. * Nós,

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Aforismos, por Alfredo Ferreiro

Aforismos, por Alfredo Ferreiro

0 comentários 🕔00:10, 02.Mai 2017

1. A audácia é a supérflua genialidade do nosso tempo 2. A moda é a esteira das mentes criativas 3. Os sonhos são uma realidade difícil de assumir 4. Para alguma gente a vida divide-se entre dinheiro e hipóteses de negócio 5. Neste mundo tudo se repete de um jeito distinto cada vez 6. A vida consiste em sucessivas mutações do amor * Nota: Os textos acima publicados pertencem ao livro Os aforismos do riso futurista (Autores galegos polo aforismo), coordenado por

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo A propósito d’ <em>A razão do perverso</em>, de Mário J. Herrero Valeiro

A propósito d’ A razão do perverso, de Mário J. Herrero Valeiro

1 comentário 🕔12:09, 24.Abr 2017

O poemário começa com aquilo que é interdito, como sendo os “mandamentos” do poeta do nosso tempo, aqueles de uma religião imposta: “nunca comerás terra / nunca beberás leite / nunca escreverás / sobre o sexo do país / nunca lamberás / as conas das poetas / nunca buscarás / as suas cuecas / entre as néscias palavras, / nunca vomitarás / no umbigo / do nosso Octavio Paz.” E isto dá pé para questionar

LEIA MAIS