Mensagens de Michel Yakini

🔍Leia o artigo completo O mercado literário e a mochila de papel

O mercado literário e a mochila de papel

0 comentários 🕔09:00, 27.Abr 2017

Em qualquer contexto fazer literatura é um ato de resistência. Comparando com as produções de outras artes, uma música, um filme ou uma peça de sucesso tende a atingir e ser referência pra milhares, enquanto um livro de autoria renomada, com grande circulação deixa o autor saltitante se vender 10 mil exemplares e, segundo os próprios escritores, isso é difícil de acontecer. Como disse Marçal Aquino “…o que são 3 mil exemplares (tiragem média) num

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo O pai, o menino e a bola

O pai, o menino e a bola

2 comentários 🕔11:00, 10.Abr 2017

Cê ouviu aquele rebuliço ontem de madrugada? Então seu pai foi preso mano? Ficou paralisado tentando entender, não sabia o que era. Muitos vizinhos vira-e-mexe caíam em cana, sabia de um caso de um tio distante, mas agora era seu pai, sua referência. Sabia que ele tava no erro, mas sempre é uma surpresa. As primeiras visitas foram pela janela engradada do 33º DP, na divisa o portal, pra cá a vida comum, pra lá o inferno. Lugar

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo A crise é um pesadelo rejuvenescido

A crise é um pesadelo rejuvenescido

0 comentários 🕔10:00, 23.Mar 2017

(…) Como fazer duas vezes melhor, se você tá pelo menos cem vezes atrasado pela escravidão, pela história, pelo preconceito, pelos traumas, pelas psicoses, por tudo que aconteceu? Duas vezes melhor como? A vida é desafio – Racionais Mc´s Vinte conto o dia/ O sol no globo. A chuva na moringa/ Dava pro café. Dava pra coxinha/ Leite-moça, pão, farinha. Daria pra motocicleta/ Um dia. Avózinha na janela/ Cuidava de sua vida. Ganhava 70 paus/ O dia de faxina. E a gente sonhava ser/ Entregador de pizza. Contratado -

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo 7 dias na Periferia

7 dias na Periferia

0 comentários 🕔11:30, 06.Mar 2017

Segunda (…) Davi foi comemorar o aniversário em Mongaguá, na casa dos primos. Disse pro tio que dessa vez aprenderia a nadar. Afinal, já tinha quinze anos, era um homem. Foi à praia sozinho e não voltou. No velório, o tio chorou lembrando do reconhecimento do corpo na areia, pelo remorso de ter levado o menino pro litoral e pela inscrição frustrada no curso de mecânica. Me contou que Davi tava querendo trabalhar. A mãe não

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Terra de um beijo só

Terra de um beijo só

0 comentários 🕔09:30, 13.Fev 2017

É uma sinuca de bico os vícios regionais que a gente tem. Quando vou ao Rio de Janeiro, Brasília ou algum lugar do Nordeste, ou mesmo, quando encontro essa gente na minha aldeia, me distraio e deixo escapulir o vácuo do beijo único no rosto de cada encontro. As pessoas adivinham nosso lugar pela forma de cumprimentar. Como não sou um estereótipo sulista (com o mito da frieza) e tenho uma cara de caboclinho com um

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Eu viveria sem literatura

Eu viveria sem literatura

4 comentários 🕔11:00, 12.Jan 2017

Esses dias li um post de um amigo dizendo sobre a necessidade da Poesia, de não conseguir viver sem a bendita. Acho que também não viveria sem ela, tampouco sem palavra, mas talvez sem a necessidade de ler e escrever, pois mesmo que hoje essa querência seja irreversível, houve um tempo que isso não era fundamental pra mim. Quando miúdo, sonhava ser jogador de bola, o restante não fazia muito sentido, gostava de batucar e versar

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Fútbol, sonrisa y rebeldía! (Crônicas de um Peladeiro)

Fútbol, sonrisa y rebeldía! (Crônicas de um Peladeiro)

0 comentários 🕔09:00, 14.Nov 2016

“Caminando, caminando Voy buscando libertad Ojalá encuentre camino Para seguir caminando...” Víctor Jara - Caminando Durante as minhas andanças por Santiago e Valparaíso, percebi que futebol, dor e resistência andam de mãos dadas na história chilena. Em Santiago, alguns estádios foram campo de concentração e tortura na ditadura de Pinochet. No Estádio Chile, por exemplo, aconteceu a execução de Vítor Jara, um dos artistas mais emblemáticos do país e que atualmente tem seu nome batizando a

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo O complexo do livro emprestado

O complexo do livro emprestado

0 comentários 🕔16:45, 03.Out 2016

Sou do tipo que se sente mal quando fico sem poder ler, mas se quer me fazer parar basta pedir pra eu ler algum livro que o Vagner, o Vagnão do Sarau da Brasa, me emprestou. Não é de hoje que a gente conversa sobre literatura, recita por aí, lê as prosas um do outro, mas peguei uma mania feia de não ler seus empréstimos. Pensava que era pela falta de interesse em ler os Bukowski

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Prosa é beijo na boca

Prosa é beijo na boca

0 comentários 🕔10:45, 29.Ago 2016

“leia-me... com tesura e vontade, devagarinho com a língua...” Desejo - acorde um verso Sou desses que vive se apaixonando, que ando facinho pra conhecer novas prosas, dessas que a gente fica curioso, quer ter sempre pertinho, que viram desejo, vontade de namorar. Prosa é beijo na boca, é sintonia, experiência aberta, que flui e impulsiona intimidades, é primavera, e quando essa linguagem se desenvolve permite a poesia, o sexo. Prosa é quando a gente lê um livro, dá

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Entrevista exclusiva: Paulinho duma Perna Torta – O rei da boca do lixo

Entrevista exclusiva: Paulinho duma Perna Torta – O rei da boca do lixo

0 comentários 🕔11:30, 18.Jul 2016

Paulinho duma Perna Torta – O rei da boca do lixo.* Aos 82 anos, o homem que já foi considerado “o intocável das bocas”, rompe o silêncio, conta detalhes e curiosidades de sua vida. O menino engraxate que se tornou o cafetão mais famoso de SP, na década de 1950, revela que entre uma malandragem e outra, foi o inventor da rota da ciclovia na cidade. Por Michel Yakini De São Paulo (SP). O senhor já foi uma figura

LEIA MAIS