Blogue

🔍Leia o artigo completo Duane Michals, poesía e fotografía

Duane Michals, poesía e fotografía

0 comentários 🕔10:30, 29.Jun 2017

Cando observas as miñas fotografías estás a mirar os meus pensamentos O fotógrafo Duane Michals entende a vida do mesmo xeito que practica a fotografía: desde o inconformismo. Para Michals unha imaxe non suplanta un fato de palabras, por iso viuse na necesidade de buscar novos termos de linguaxe fotográfica. O interesante dunha foto é o que non é visible, declara este creador a contracorrente. Lito Caramés Para min a fotografía son preguntas e mais historias Opina que o

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo “O artista não é um criador…”

“O artista não é um criador…”

0 comentários 🕔09:00, 27.Jun 2017

O artista não é um criador é antes um descobridor de essências. E nesta operação ele combate com a mesma técnica dos deuses: a explosão. A arte assusta demasiado como uma bola pequena de berlinde a rolar num espaço vasto. O artista não pode ser criador, para que fosse era necessário um inferno e um paraíso simultâneo sem qualquer espécie de divisão entre ambos. Nem eu compreendo bem esta metafísica. A criação: a dita e

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Entrevista a Maria João Cantinho: “A poesia é para mim uma forma de respirar”

Entrevista a Maria João Cantinho: “A poesia é para mim uma forma de respirar”

0 comentários 🕔09:00, 26.Jun 2017

Nasceu em 1963, em Lisboa e viveu a sua infância em Angola. Regressou em Fevereiro de 1975 e estudou na Universidade Nova de Lisboa, onde se licenciou em Filosofia, realizou dissertação de mestrado (tendo publicado o livro O Anjo Melancólico a partir da dissertação) e se doutorou, em Filosofia Contemporânea, com a tese Walter Benjamin, Messianismo e Revolução: a História Secreta. Actualmente é professora no Ensino Secundário e foi Professora Auxiliar no IADE (Creative University

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Chuva (micropoemas)

Chuva (micropoemas)

0 comentários 🕔09:30, 23.Jun 2017

Estes 23 micropoemas têm uma inspiração americana e foram escritos durante o mês de maio de 2017, com a lembrança em Quito, mas a cabeça n’A Mancha. A seguir, os textos: (1) para a sobremesa, delusão com pingas de melancolia... (2) apreendeste-me a chorar, ensina-me a chover (3) éramos planetas hoje apenas órbitas (4) queres que eu te leia mas toda tu és lenda as tuas células, palavras (5) acariciar galáxias ou navegar-te nua? não há diferença (6) amar-te é pronunciar-te minha língua materna (7) se te encontrar, é porque te perdi se eu te perder, não me encontraria (8) meço

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo “Acampamento de refugiadxs”, por Paula Gómez del Valle

“Acampamento de refugiadxs”, por Paula Gómez del Valle

0 comentários 🕔09:00, 23.Jun 2017

#ACampa na #Coruña. #Refuxiadxs

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Prólogo para <em>O Segredo de Sheela Na Gig</em>, de Iolanda Aldrei

Prólogo para O Segredo de Sheela Na Gig, de Iolanda Aldrei

0 comentários 🕔12:30, 22.Jun 2017

Escreve uma mulher, sem dúvida, e faz certamente para todas as pessoas interessadas no caráter político do corpo, da terra, do erotismo e da história. O segredo de Sheela-na-Gig é um livro inabordável, imenso como as nossas vulvas, onde cada verso abre um novo roteiro. Ninguém que se adentre nessa vulva enorme sairá indemne, por fortuna. A vida fecunda-se permanentemente, abrindo, desde sempre, novas moradas para quem queira evoluir e aprender, como esta que nos propõe

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo As ilhas que nos habitam (e uma quase crónica da Ilha de São Simão)

As ilhas que nos habitam (e uma quase crónica da Ilha de São Simão)

0 comentários 🕔11:20, 20.Jun 2017

«A literatura tem que conquistar o coração» Agustín Fernández Paz A edição dos Prémios Xerais 2017 realizou-se no passado dia 3 de Junho na poética Ilha de São Simão (Ria de Vigo), ilha que o trovador Meendinho se inspirou para escrever a sua célebre cantiga de amigo, uma das mais notáveis de toda a poesia lírica galego-portuguesa. Nessa tarde/noite de Sábado celebrou-se a entrega dos prémios aos vencedores do Merlim de Literatura Infantil (María Canosa), Jules Verne

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo <em>Tem que ser navegando a longa noite</em>, texto de Maria João Cantinho na entrega do Prémio Glória de Sant’Anna 2017

Tem que ser navegando a longa noite, texto de Maria João Cantinho na entrega do Prémio Glória de Sant’Anna 2017

0 comentários 🕔09:00, 19.Jun 2017

Quem é o terceiro que sempre caminha a teu lado? Quando conto, só estamos tu e eu Mas quando olho pela estrada branca acima Há sempre alguém a caminhar junto de ti Envolto em manto castanho, e embuçado Não sei se será homem ou mulher – Mas quem é esse do outro lado de ti?  T. S. Eliot, A Terra Devastada Quero, desde já, agradecer. Em primeiro lugar, ao júri e à família da poeta Glória de

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Chocolate Moscow

Chocolate Moscow

0 comentários 🕔09:00, 15.Jun 2017

“Apesar dos males que existem na Periferia, Periferia também tem seu lado bom...” Consciência Humana Periferia tem seu lado bom Ando um tanto desacreditado com a falta de humanidade dentro do trem, onde a cena diária é ver a moçada do batente fazendo da marmita seu escudo pra conseguir um lugar pra sentar, da Estação da Luz até alguma beirada qualquer. É triste pela treta, mas, ao mesmo tempo, é digno querer voltar do trabalho sentado, nénão? Algumas

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo A poética de Torné Esquius, entre o modernismo e o <em>noucentisme</em>

A poética de Torné Esquius, entre o modernismo e o noucentisme

0 comentários 🕔10:45, 14.Jun 2017

O tempo ten unha relación caprichosa coa arte; o que hoxe agrada, mañá é ignorado. Cantos creadores, e creadoras, sofren esquecemento, despois de vivir o éxito e o recoñecemento do público? A obra de Pere Torné Esquius, pintor e ilustrador, é un bo exemplo das veleidades doso que se acostuma chamar tempo. Lito Caramés Pere Torné Esquius. Poètica quotidiana Aquesta exposició és una de les funcions del MNAC: donar a conèixer artistes avui oblidats pel cànon, i en

LEIA MAIS