Categoria "Xavier Alcalá"

🔍Leia o artigo completo Ferrol me fecit (pregão de escarnho e mal dizer)

Ferrol me fecit (pregão de escarnho e mal dizer)

0 comentários 🕔13:45, 15.Ago 2016

Caríssimos ferrolãos e ferrolterrãos (e no neutro incluo damas e cavaleiros, nada de repetir em masculino e feminino como fazem os que desconhecem as falas filhas do Latim); caríssimos todos: Aqui me tendes em condição de escrivão, mais de ofício que por inspirado, a falar-vos por convite do alcaide e outros principais desta vila que os cascarilheiros invejosos chamam Podre (como se eles não soubessem de podrémias, sobre tudo de gerifaltes tão podres que o

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Do exterior ao interior

Do exterior ao interior

0 comentários 🕔13:15, 28.Jul 2016

O passado 21 de Julho foi apresentado o documentário Porta para o Exterior na Livraria Berbiriana da Cidade Velha da Corunha, belíssimo espaço de encontro para os que acreditamos firmemente no erradamente chamado reintegracionismo (pois deveria ser chamado simplesmente integracionismo). Houve visão do trabalho, aplausos para os que o fizeram e comentários de todo tipo. Na minha condição de velho a quem se lhe deve perdoar tudo, falei e disse que há por volta de cinquenta

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Etimologias escuras duma luminosa mente

Etimologias escuras duma luminosa mente

1 comentário 🕔14:00, 03.Mar 2016

Às vezes encontra-se um livro que se converte, logo ao começar a lê-lo, em sujeito de releitura, instrumento de consulta. Há uns meses tive o prazer de escutar na Livraria Suévia da Corunha o professor Higino Martins Esteves. Encontrava-o nesta banda do Atlântico quando não muito tempo atrás o encontrara além do Oceano, em Buenos Aires, concretamente na Federação de Sociedades Galegas, onde ele ensina “português da Galiza”. A Higino Martins e a mim unem-nos muitos pensamentos

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Maria do Ceo, portugalega de honra

Maria do Ceo, portugalega de honra

0 comentários 🕔11:30, 21.Jan 2016

Os galegos fazem clara diferença entre “lume” (de arder) e “fogo” (de explodir, com pólvora). Os portugueses (que bem conhecem os valores das duas palavras) inclinam-se por confundi-las. Os galegos dizem que “há lume no monte”; os portugueses alarmam-se de que haja “fogo na floresta”. Mas uns e outros falam em “armas de fogo”... Como repetia o grande professor Ernesto Guerra da Cal, “Todo o galego está contido no português”; ao que outros respondem que

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Democracia gráfica

Democracia gráfica

0 comentários 🕔12:00, 15.Out 2015

Três assuntos diferentes mas relacionados provocam estas notas. Um é a recente campanha eleitoral, quase bélica, das eleições “plebiscitárias” catalãs; outro, a edição pela Real Academia Galega duma listagem de apelidos galegos castelhanizados e retornados à sua versão galega “normalizada”; o terceiro, o VI Congresso da Associação de Escritoræs em Língua Galega, celebrado em Pontevedra o passado 26 de setembro. Começando pelo primeiro é preciso fazer uma comparação entre como os políticos e os locutores

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Do espanholego ao galespanhol

Do espanholego ao galespanhol

4 comentários 🕔12:30, 01.Set 2015

No mundo nada tem feito tanto pela uniformidade linguística como a televisão. Sem dúvida que o rádio já apoiara o processo, sobretudo as “cadeias nacionais”. Mas a televisão foi o instrumento decisivo, pois faria com que as famílias se parassem embobadas diante do novo bezerro de ouro. Acerca disso, permitam-me reclamar a sua atenção a um texto meu, uma fabulação, que teve sucesso (e mesmo prémio) no seu dia, quando na Galiza ainda nem sonhávamos com

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo A bandeira nacional da Gallaecia

A bandeira nacional da Gallaecia

0 comentários 🕔13:30, 24.Jun 2015

Palavra comum é uma publicação dirigida a fazermos comum um espaço de cultura, além de fronteiras artificiais. Permita-se-me logo recuperar para ela uma nota vivencial que junta tudo em termos de vida, do que se faz vivendo: comer, viajar, falar, sonhar com as pálpebras fechadas ou abertas. Há mais de sete anos que a escrevi a gentil demanda do Eixo Atlântico, conformado pelas principais cidades da euro-região Galiza-Norte de Portugal. E ainda vale, como valerá, porque

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo As falas do Brasiguai

As falas do Brasiguai

0 comentários 🕔11:30, 10.Jun 2015

Há muitos anos, quiçá quarenta, chamava a atenção do visitante das Cataratas do Iguaçu o fato de ouvir a Rádio Itapiru, instalada no Paraguai, em três idiomas: castelhano para as notícias, guarani para as canções e português para os anúncios comerciais. Hoje o viageiro que percorra a zona de fronteira entre o Brasil e o Paraguai, ao largo duma faixa de cem ou mais quilómetros em território paraguaio, fica com dúvidas sobre qual é o país

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo <em>Tertúlia revisitada</em> (e XII)

Tertúlia revisitada (e XII)

0 comentários 🕔13:00, 22.Abr 2015

Revisión de Tertúlia, de Xoán Castro, editada por Xavier Alcalá a partir dos documentos orixinais do autor ❧ Epílogo de Tertúlia revisitada, No que Joán Castro Méndez documenta veleidades e misérias que moven a críticos literários e jurados de concursos ❧ Para: ferminx47@yahoo.com Enviado: terza 22/1/2014 20:21 CC: Asunto: Aventuras argentinas, Tertúlia e babas (malas) galegas Boa noite, camarada. Non vai tardar a Ana en vir dicir-me que pare de lle dar ás teclas, que ja son horas de irmos para a cama; pero necesito

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo <em>Tertúlia revisitada</em> (XI)

Tertúlia revisitada (XI)

0 comentários 🕔12:45, 15.Abr 2015

Revisión de Tertúlia, de Xoán Castro, editada por Xavier Alcalá a partir dos documentos orixinais do autor ❧ Cuarta parte de Tertúlia revisitada, Na que o Joán segue a mostrar documentos chave sobre ataques e defensas, ja a piques de se publicaren Tertúlia e O Abrigo do sol (1985). Inclúe histórias persoais de tertulianos e outros artistas. ❧ O ABRIGO DO SOL – Capítulo 10º Simple lei da selva Índio pescador prefire auga, areais, as grandes vistas; non é de andar moito polo mato.

LEIA MAIS