Categoria "Crónicas"

🔍Leia o artigo completo Prólogo para <em>O Segredo de Sheela Na Gig</em>, de Iolanda Aldrei

Prólogo para O Segredo de Sheela Na Gig, de Iolanda Aldrei

0 comentários 🕔12:30, 22.Jun 2017

Escreve uma mulher, sem dúvida, e faz certamente para todas as pessoas interessadas no caráter político do corpo, da terra, do erotismo e da história. O segredo de Sheela-na-Gig é um livro inabordável, imenso como as nossas vulvas, onde cada verso abre um novo roteiro. Ninguém que se adentre nessa vulva enorme sairá indemne, por fortuna. A vida fecunda-se permanentemente, abrindo, desde sempre, novas moradas para quem queira evoluir e aprender, como esta que nos propõe

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo <em>Tem que ser navegando a longa noite</em>, texto de Maria João Cantinho na entrega do Prémio Glória de Sant’Anna 2017

Tem que ser navegando a longa noite, texto de Maria João Cantinho na entrega do Prémio Glória de Sant’Anna 2017

0 comentários 🕔09:00, 19.Jun 2017

Quem é o terceiro que sempre caminha a teu lado? Quando conto, só estamos tu e eu Mas quando olho pela estrada branca acima Há sempre alguém a caminhar junto de ti Envolto em manto castanho, e embuçado Não sei se será homem ou mulher – Mas quem é esse do outro lado de ti?  T. S. Eliot, A Terra Devastada Quero, desde já, agradecer. Em primeiro lugar, ao júri e à família da poeta Glória de

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Chocolate Moscow

Chocolate Moscow

0 comentários 🕔09:00, 15.Jun 2017

“Apesar dos males que existem na Periferia, Periferia também tem seu lado bom...” Consciência Humana Periferia tem seu lado bom Ando um tanto desacreditado com a falta de humanidade dentro do trem, onde a cena diária é ver a moçada do batente fazendo da marmita seu escudo pra conseguir um lugar pra sentar, da Estação da Luz até alguma beirada qualquer. É triste pela treta, mas, ao mesmo tempo, é digno querer voltar do trabalho sentado, nénão? Algumas

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Pelo roteiro da Galiza universal de Rosalia de Castro

Pelo roteiro da Galiza universal de Rosalia de Castro

0 comentários 🕔11:00, 12.Jun 2017

NOTA: artigo publicado em 2003 na revista de literatura da Universidade Centro de Guarapuava (Estado do Paraná, Brasil). A figura e a obra de Rosalía de Castro são inesgotáveis nessa universalidade que seus leitores constatarão, como é demonstrado pelo jovem escritor brasileiro, Andityas Soares de Moura, que foi além da leitura da poeta galega para abarcar várias dimensões de sua obra. A importante e sugestiva incursão de Andityas como leitor, antologizador e tradutor faz uma descoberta

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Viaxe ao corazón de Gales

Viaxe ao corazón de Gales

0 comentários 🕔09:00, 22.Mai 2017

Sinto aínda a esperanza como a miña concepción do porvir – J. P. Sartre A finais do outubro pasado, o meu bo amigo Phil Davies invitounos a un grupo de persoas a asistir ao congreso anual do Partido Nacionalista de Gales, Plaid Cymru, que tivo lugar na vila de Llanllogen, no nordeste do país. O plan de Phil tamén incluía diversas visitas a lugares emblemáticos da cultura e historia galesas, o que xerou en min unhas

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Já ouviu falar em caneta?

Já ouviu falar em caneta?

0 comentários 🕔08:30, 22.Mai 2017

Um dos incentivadores que me fez investir na escrita foi um cara chamado Hugo. Sabe esses caras que ficam pendurados no poste instalando cabos telefônicos? Então, ele é o Hugo, um pernambucano que vive em São Paulo há décadas, morador da Vila Joaniza. Nos conhecemos na rua, trampando pelas quebradas na Zona Sul. No momento do rango, ele era o primeiro a colocar água na bandeja, acender o botijão e pedir licença pra pegar a marmita

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Outra correspondencia exemplar: Theodor W. Adorno/Gershom Scholem

Outra correspondencia exemplar: Theodor W. Adorno/Gershom Scholem

0 comentários 🕔09:00, 08.Mai 2017

Hai cousa dun ano apareceu na arxentina Eterna Cadencia Editora a correspondencia entre Theodor W. Adorno e máis Gershom Scholem (Adorno & Scholem, Correspondencia 1939-1969, Buenos Aires, Eterna Cadencia Editora, 2016, edición de Asaf Angerman, tradución de Martina Fernández Polcuch e María Graciela Tellechea). Adorno e Scholem foron os dous grandes correspondentes do filósofo alemán Walter Benjamin, ademais de seren amigos –o outro gran correspondente foi Gretel Karpus, a muller de Adorno. Coñecíase a correspondencia

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo O mercado literário e a mochila de papel

O mercado literário e a mochila de papel

2 comentários 🕔09:00, 27.Abr 2017

Em qualquer contexto fazer literatura é um ato de resistência. Comparando com as produções de outras artes, uma música, um filme ou uma peça de sucesso tende a atingir e ser referência pra milhares, enquanto um livro de autoria renomada, com grande circulação deixa o autor saltitante se vender 10 mil exemplares e, segundo os próprios escritores, isso é difícil de acontecer. Como disse Marçal Aquino “…o que são 3 mil exemplares (tiragem média) num

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo O último dos <em>órficos</em> vivo… em 1973, por Carlos Pazos-Justo

O último dos órficos vivo… em 1973, por Carlos Pazos-Justo

0 comentários 🕔08:30, 17.Abr 2017

Chegou a mim, finalmente, um documento há muito procurado. Trata-se de uma entrevista em programa da RTP a Alfredo Guisado, na altura o único dos órficos dentre os vivos. Na Lisboa de fevereiro de 1973. Apesar de ter notícias vagas da existência de uma entrevista televisiva, desconhecia por completo o teor da mesma. Até, se mal não lembro, situava-a no pós-25 de abril e de conteúdo político… O documento em si pouco ou nada acrescenta ao que

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo O pai, o menino e a bola

O pai, o menino e a bola

2 comentários 🕔11:00, 10.Abr 2017

Cê ouviu aquele rebuliço ontem de madrugada? Então seu pai foi preso mano? Ficou paralisado tentando entender, não sabia o que era. Muitos vizinhos vira-e-mexe caíam em cana, sabia de um caso de um tio distante, mas agora era seu pai, sua referência. Sabia que ele tava no erro, mas sempre é uma surpresa. As primeiras visitas foram pela janela engradada do 33º DP, na divisa o portal, pra cá a vida comum, pra lá o inferno. Lugar

LEIA MAIS