Categoria "Poesia"

Play video Apresentação da revista DiVersos no Porto, em Santiago e na Corunha

Apresentação da revista DiVersos no Porto, em Santiago e na Corunha

0 comentários 🕔11:34, 20.Mar 2017

Nesta semana, na quarta 22 de março em Santiago (20:00 hs. na livraria Chan da Pólvora) e na quinta 23 na Corunha (no café livraria Linda Rama), a revista DiVersos - Poesia e tradução será apresentada na Galiza. São já 20 anos desde a sua fundação (1996-2016) e mais de 300 nomes da poesia que foram aqui publicados, em língua original ou traduzidos. Contaremos nos dous eventos com a presença do seu editor, o amigo

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Entrevista e obra do escritor brasileiro Remisson Aniceto

Entrevista e obra do escritor brasileiro Remisson Aniceto

1 comentário 🕔09:30, 16.Mar 2017

Natural de Nova Era (MG), pequena cidade vizinha da Itabira do Carlos Drummond de Andrade, Remisson Aniceto sempre imaginou que algum dia ultrapassaria as montanhas para conhecê-lo mas, como o poeta já havia advertido bem antes: "tinha uma pedra no meio do caminho". Começou a escrever bem cedo por influência do seu pai que era alcoólatra inveterado, mas cujo vício ainda maior era a leitura. Apesar de pouco saber ler, seu pai não dispensava o

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Ler o invisível

Ler o invisível

0 comentários 🕔12:45, 13.Mar 2017

A poesia não é amparo contra a desolação. Como poeta estou sempre cheio e sempre vazio e, quanto maior é o confronto com o poema, mais o vazio se expande e é maior a desolação. Levo muito mais anos de escrita do que a que se condensa na larga Antologia que hoje se apresenta. Olho para trás e sei que sempre escrevi sobre o vazio, não apenas para o ultrapassar, mas para subentender alguma comoção

LEIA MAIS
Play video Entrevista audiovisual a Teresa Moure, arredor de <em>Eu violei o lobo feroz</em>

Entrevista audiovisual a Teresa Moure, arredor de Eu violei o lobo feroz

1 comentário 🕔10:45, 13.Mar 2017

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Limícolas

Limícolas

0 comentários 🕔09:00, 02.Mar 2017

*** Procuramos o sol no limo incandescente, batemos as asas sobre o mais obscuro desta linguagem dormida: somos aurífices de uma casa a desprender o silêncio no sonho intacto de uma luz no aquém do vivo, infatigável desenho do saber entranhado nas formas a palpitar entre o universo e nós. Texto de Ramiro Torres

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Entrevista à escritora brasileira Susanna Busato: “A Arte é uma via inteligente para o conhecimento transformador do mundo”

Entrevista à escritora brasileira Susanna Busato: “A Arte é uma via inteligente para o conhecimento transformador do mundo”

0 comentários 🕔12:00, 27.Fev 2017

Susanna Busato, autora do livro Corpos em cena, é uma gaivota paulistana. Filha dos anos 60, meio hippie nos anos 80, virou professora universitária nos anos 90 com a poesia na rota da vida. Durante os voos virou Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC/SP) e Doutora em Letras (UNESP/São José do Rio Preto), onde fincou o bico como professora de Poesia Brasileira, e onde tem um grupo de estudos de poesia, o GEP/CNPq. Hoje se

LEIA MAIS
Play video Entrevista audiovisual a Yolanda Castaño sobre <em>A Segunda Lingua</em>

Entrevista audiovisual a Yolanda Castaño sobre A Segunda Lingua

0 comentários 🕔11:00, 27.Fev 2017

Entrevista a Yolanda Castaño sobre o seu libro A Segunda Lingua.

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Poemas do libro inédito <em>Entre as sombras e a luz</em>

Poemas do libro inédito Entre as sombras e a luz

0 comentários 🕔10:00, 27.Fev 2017

Poemas do libro inédito Entre as sombras e a luz, como sentida homenaxe a Rosalía de Castro. *** Agárdame. Un día irei a ti. Cando agromen as violetas sementadas no teu peito, e de novo escoitemos o teu canto. * Que misterio me une a ti, que misterio. No silencio, na palabra; sombra. E na luz. Que misterio... * A primeira e última andoriña daquel verán deixaron sinal en ti. Aínda es seu niño. * Veño pensar en ti, nos límites dun novo paraíso rescatado á malicia da serpe. Veño buscarte no labirinto deste edén onde é

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Entrevista ao poeta moçambicano Jaime Munguambe

Entrevista ao poeta moçambicano Jaime Munguambe

4 comentários 🕔09:30, 20.Fev 2017

Jaime Munguambe nasceu em Maputo, no dia 27 de Outubro de 1991. É membro do Movimento Literário Kuphaluxa. Colabora em antologias, revistas, jornais e blogues de publicação literária a nível nacional e internacional. Em 2009 foi agraciado com o Prémio Recital de Poesia do Conselho Municipal da Cidade de Maputo. E, em 2015 Prémio Literário do Banco de Moçambique, categoria de poesia. - Palavra Comum: Que é para ti a literatura? - Jaime Munguambe: É a arte

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo No volver que seremos estamos (e VI), por Rafael Catoira

No volver que seremos estamos (e VI), por Rafael Catoira

0 comentários 🕔08:35, 20.Fev 2017

Desde a Palavra Comum agradecemos a Rafael Catoira que escolhesse este espaço para publicar, em diversas entregas, o seu poemário inédito No volver que seremos estamos. Antigo dito da tribo Hopi: Nós somos aqueles aos que estabamos a agardar. *** A xeito dun final, cando nada remata. Crepúsculo I No amplo berce escuro do ceo seguir as luces que guían os astros. Ollar na noite. Apoderarse dese astro que brilla ao lonxe, na esquina dun universo que cabalga a súa propia sombra desde a primeira laparada, sobre o

LEIA MAIS