Categoria "Poesia"

Play video Alfredo Ferreiro no Raias Poéticas 2017

Alfredo Ferreiro no Raias Poéticas 2017

0 comentários 🕔14:20, 09.Jun 2017

No passado mês de Maio tive a oportunidade de participar no Raias Poéticas ~ Afluentes Ibero-Afro-Americanos de Arte e Pensamento fazendo parte de uma delegação galega composta por Ramiro Torres, Teresa Moure e Tiago Alves Costa. Este é o quinto do cinco vídeos que compõem o nosso contributo plural. Este evento nasceu, segundo as palavras o Luís Serguilha, há seis anos para «_________potencializar a criatividade artística, o pensamento como experiência dançante, a interrelacionalidade, a sismologia das sensações,

LEIA MAIS
Play video Ramiro Torres no Raias Poéticas 2017

Ramiro Torres no Raias Poéticas 2017

0 comentários 🕔09:57, 05.Jun 2017

No passado fim de semana tive a oportunidade de participar no Raias Poéticas ~ Afluentes Ibero-Afro-Americanos de Arte e Pensamento fazendo parte de uma delegação galega composta por Ramiro Torres, Teresa Moure e Tiago Alves Costa. Este é o terceiro do cinco vídeos que compõem o nosso contributo plural. Este evento nasceu, segundo as palavras o Luís Serguilha, há seis anos para «_________potencializar a criatividade artística, o pensamento como experiência dançante, a interrelacionalidade, a sismologia das sensações,

LEIA MAIS
Play video Tiago Alves Costa no Raias Poéticas 2017

Tiago Alves Costa no Raias Poéticas 2017

0 comentários 🕔13:33, 02.Jun 2017

No passado fim de semana tive a oportunidade de participar no Raias Poéticas ~ Afluentes Ibero-Afro-Americanos de Arte e Pensamento fazendo parte de uma delegação galega composta por Ramiro Torres, Teresa Moure e Tiago Alves Costa. Este é o segundo do cinco vídeos que compõem o nosso contributo plural. Este evento nasceu, segundo as palavras o Luís Serguilha, há seis anos para «_________potencializar a criatividade artística, o pensamento como experiência dançante, a interrelacionalidade, a sismologia das sensações,

LEIA MAIS
Play video Raias Poéticas 2017: Luís Serguilha

Raias Poéticas 2017: Luís Serguilha

0 comentários 🕔12:13, 31.Mai 2017

No passado fim de semana tive a oportunidade de participar no Raias Poéticas ~ Afluentes Ibero-Afro-Americanos de Arte e Pensamento fazendo parte de uma delegação galega composta por Ramiro Torres, Teresa Moure e Tiago Alves Costa. Este é o primeiro do cinco vídeos que compõem o nosso contributo plural. Este evento nasceu, segundo as palavras o Luís Serguilha, há seis anos para «_________potencializar a criatividade artística, o pensamento como experiência dançante, a interrelacionalidade, a sismologia das sensações, as

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Emulando a Juan Eduardo Cirlot

Emulando a Juan Eduardo Cirlot

0 comentários 🕔11:15, 28.Mai 2017

Recreando ao meu admirado poeta Juan Eduardo Cirlot. Meu pranto Meu pranto é a cruz que me condena, meu pranto vai pola xustiza escrava, meu pranto é cadea que me ata, a todos os oprobios cometidos. Meu pranto é unha selva de promesas, perdida en labirinto de xacintos, meu pranto é un martelo que golpea a todos aqueles que dominan. Meu pranto é un río desbordado, que sempre vai en contra da maldade, meu pranto é unha ferida aberta, meu pranto é conciencia proclamada. Meu pranto é por fin,

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Entrevista ao escritor português João Luís Barreto Guimarães

Entrevista ao escritor português João Luís Barreto Guimarães

0 comentários 🕔09:00, 25.Mai 2017

- Palavra Comum: Que é para ti a literatura? - João Luís Barreto Guimarães: Apenas mais uma palavra. - Palavra Comum: Como levas adiante o processo de criação literária? - João Luís Barreto Guimarães: Aos pouquinhos, imagem a imagem, linha a linha. - Palavra Comum: Qual consideras que é a relação entre a literatura e outras artes (música, cinema, artes plásticas, etc.)? - João Luís Barreto Guimarães: São como uma quadrilha de ladrões mas que se assaltam entre si. - Palavra

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Versogramas, por Celia Parra

Versogramas, por Celia Parra

0 comentários 🕔09:00, 19.Mai 2017

O primeiro documental sobre o panorama internacional da videopoesía, Versogramas, presenta campaña de crowdfunding. O directores Juan Lesta e Belén Montero de Esferobite e a produtora Celia Parra, equipo principal de Versogramas, presentan a campaña de micromecenado de Versogramas, o primeiro documental sobre o panorama internacional da videopoesía. Versogramas é unha produción de Esferobite, coproducida pola Televisión de Galicia, coa participación de Amanita Films e Pixel Films como produtoras asociadas, e conta coa colaboración da Editorial

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Over the Fall (II)

Over the Fall (II)

0 comentários 🕔09:00, 18.Mai 2017

The sun takes the space swims for learning the sense. O sol ocupa o espaço nada para aprender o sentido. * Open the eyes see the darkness all the lights are coming. Abre os olhos olha a escuridom todas as luzes estám a vir. * After all your mirror shows the changed image see into yourself. Após tudo o teu espelho mostra a imagem alterada olha dentro de ti. * Maybe my heart isn’t there maybe the others aren’t there. Quiçá o meu coraçom nom está aí quiçá os outros também nom. * Blood into the moon another person is near to you perhaps planets are

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo Over the Fall (I)

Over the Fall (I)

0 comentários 🕔12:00, 11.Mai 2017

Into my eyes the night is opened when you put down the floor like the last day alone. Dentro dos meus olhos a noite está aberta quando sacrificas o cham como o passado dia solitário. * I follow your walk obscure irreal across the Street in the middle of the hand. Eu sigo o teu transcurso escuro irreal através da rua no meio da mao. * The lake water rain you and me in another dimension after all we are now completly unhappy. O lago água chuva tu e mais eu numa outra dimensom após de todo nós somos agora completamente infelizes. * For the first time I need the waves in my body slowly near of the sky in a place red place because

LEIA MAIS
🔍Leia o artigo completo AKASA

AKASA

2 comentários 🕔10:00, 08.Mai 2017

A voz da mãe sempre chega a Deus. Os filhos, que entre si, se matam não conhecem o nome da sua estirpe e a loba ouvia e o cão raivoso late em fúria enquanto Marte celebra sua fugida de Mercúrio. Em cima habita o Cosmos, em baixo sua saia sagrada permuta – a serpente – permuta no dragão de cabeças múltiplas. No meio a Voz da psíquica palavra aos olhos, seu véu, nos oculta A voz chega ao filho da águia muito distante para ser entendida. A voz chega ao

LEIA MAIS